As três habilidades essenciais para ter um relacionamento romântico saudável

Nunca é tarde demais - ou muito cedo - para aprender as habilidades que compõem a competência romântica: insight, reciprocidade e regulação emocional. E quando você possui essas habilidades, todos os relacionamentos em sua vida serão beneficiados, diz a psicóloga e pesquisadora Joanne Davila.


"Podemos saber como é um relacionamento saudável, mas a maioria das pessoas não tem ideia de como conseguir um - e ninguém nos ensina como fazê-lo." É isso que Joanne Davila, professora de psicologia e diretora de treinamento clínico da Universidade Stony Brook, em Stony Brook, Nova York, argumenta em uma palestra no TEDxSBU.

As instruções sobre relacionamentos saudáveis ​​existem na forma de terapia para casais ou aconselhamento pré-marital, isso significa que casais recebem estas instruções quando o casamento está se deteriorando ou antes mesmo de começar. Porém, ambos são tarde demais, diz Davila. Espere um segundo - como o aconselhamento pré-marital é tarde demais? "Porque as pessoas já selecionaram a pessoa com quem desejam se comprometer", ela explica. “E se eles selecionam mal? Nenhuma quantidade de educação pré-marital pode compensar uma má escolha de parceiro.”


Em um esforço para resolver essa lacuna, Davila e seus colegas estão estudando o que chamam de "competência romântica". Competência romântica é, como ela diz, “a capacidade de funcionar de forma adaptável em todas as áreas ou em todos os aspectos do processo de relacionamento [incluindo] ... descobrir o que você precisa, encontrar a pessoa certa, construir um relacionamento saudável e [sair] de relacionamentos que não são saudáveis."


Segundo Davila e seus colegas, há três habilidades principais por trás da competência romântica: insight, reciprocidade e regulação emocional. "Deixe-me dizer que não inventamos isso do nada", explica ela. “Identificamos as habilidades com base em uma revisão minuciosa de teoria e pesquisa. As habilidades realmente representam os pontos comuns das principais teorias e descobertas de pesquisas sobre relacionamentos saudáveis. Como eles representam os pontos em comum, achamos que eles realmente podem ajudar as pessoas com todas as diferentes partes do processo de relacionamento e com todas as pessoas - estejam elas em um relacionamento ou não.”

A primeira habilidade é o insight. "O insight é sobre conscientização, compreensão e aprendizado", diz Davila. “Com o insight, você terá uma ideia melhor de quem você é, o que precisa, o que deseja e por que faz o que faz." Por exemplo, digamos que você esteja se sentindo irritado(a) com o seu parceiro(a). Se você possui insight, ela diz, “você pode perceber que não é que seu parceiro(a) esteja fazendo algo; na verdade, você está estressado(a) no trabalho, e o que você realmente precisa é relaxar um pouco para que não afete seu relacionamento.”


"Com o insight, você será capaz de antecipar as consequências positivas e negativas do seu comportamento", diz Davila. Ter discernimento significa perceber quando você diz "obrigado" depois que seu parceiro lhe entrega um café com ½ colher de chá de açúcar e dois dedos de leite - exatamente como você gosta - os dois se sentirão apreciados. Por outro lado, também significa saber que quando você esquece de agradecer ou demora para responder uma mensagem, seu parceiro(a) provavelmente se sentirá irritado(a) ou magoado(a).

"O insight também permitirá que você conheça melhor seu parceiro", diz Davila. “Digamos que seu parceiro chegue atrasado para um encontro. Com insight, você saberá o porquê. Por exemplo, talvez seu parceiro se atrase para tudo. Não é nada sobre você ou o relacionamento. É apenas quem é seu parceiro."


A segunda habilidade é a reciprocidade. "Reciprocidade é saber que as duas pessoas têm necessidades e que os dois conjuntos de necessidades são importantes", diz Davila. “Com reciprocidade, você será capaz de transmitir suas próprias necessidades de maneira clara e direta; isso aumenta a probabilidade de você cumpri-los."


Davila fornece um exemplo para ilustrar como você pode comunicar seus desejos. “Digamos que você precise ir a um evento familiar realmente estressante e gostaria que seu parceiro estivesse lá com você. Você pode dizer diretamente: 'Sabe, isso vai ser estressante para mim. Eu realmente gostaria que você estivesse lá; você será realmente um bom apoio para mim. Existe alguma maneira de você ajustar a sua agenda para vir comigo?' "


Obviamente, a reciprocidade é garantir também que as necessidades do seu parceiro sejam atendidas. "Digamos que você saiba que seu parceiro realmente gosta de ir à academia logo de manhã - isso faz com que ele se sinta melhor o resto do dia", diz Davila. "A reciprocidade permitirá que você esteja disposto a apoiar seu parceiro nisso, mesmo que você prefira que ele fique em casa na cama com você."

"A reciprocidade também permite que você leve em consideração as necessidades de ambas as pessoas nas decisões que você toma sobre o seu relacionamento", diz Davila. “Digamos que você receba uma excelente oferta de emprego que já gostaria de receber, mas você sabe que significa que terá que trabalhar mais e sabe como é importante que você e seu parceiro passem algum tempo juntos. Com uma abordagem mútua, você pode dizer: 'Sabe, eu realmente gostaria de aceitar esse trabalho, é realmente importante para mim, mas também estou preocupado com o fato de passarmos um tempo juntos. Se eu prometer separar algum tempo para nós, você ficará bem se eu aceitar este trabalho?' "


A terceira e última habilidade é a regulação emocional. "A regulação da emoção é sobre a regulação de seus sentimentos em resposta às coisas que acontecem no seu relacionamento", diz Davila. "Com a regulação emocional, você poderá manter as emoções calmas e manter as coisas que acontecem no seu relacionamento em perspectiva".


A regulação emocional significa desenvolver a capacidade de gerenciar aqueles momentos em que você pode se preocupar ou romper o relacionamento. Davila dá o exemplo de esperar o retorno de uma mensagem do seu parceiro: “Ele não te responde. Você está ficando muito ansioso. Você está verificando seu telefone a cada dois segundos. Com a regulação emocional, você será capaz de dizer a si mesmo: 'Sabe de uma coisa? Se acalme - ele vai responder. Não preciso verificar meu telefone a cada segundo. Vou apenas guardar o celular e focar em outra coisa.' ”


A regulação emocional é uma habilidade importante para todos os seus relacionamentos - românticos e platônicos - porque permite tolerar sentimentos desconfortáveis, ao mesmo tempo em que mantém o respeito próprio e o comprometimento com suas próprias necessidades.

Todas as três habilidades são necessárias para um bom relacionamento. Davila compartilha o exemplo de uma mulher cujo parceiro perguntou o que ela queria para seu aniversário. Ela disse a ele que não queria nada, então foi isso que ele deu pra ela - nada.


Davila continua: “Ela ficou com muita raiva e eles tiveram uma grande briga. Por quê? Porque ela realmente queria um presente, ela simplesmente não queria contar a ele - ela só queria que ele soubesse. Isso se chama leitura mental, isso é uma péssima ideia e nunca funciona. Se ela estivesse usando as habilidades, o insight permitiria que ela se conhecesse o suficiente para perceber que realmente queria algo e, se não tivesse, ficaria brava.”


“O insight também a deixaria saber que seu parceiro era o tipo de cara que aceitaria o que ela dizia literalmente. A reciprocidade a deixaria realmente pedir o que queria, direta e claramente. E a regulação emocional a permitiria lidar com qualquer sentimento que aparecesse. Talvez ela estivesse se sentindo um pouco ansiosa: 'O que ele pensaria se eu pedisse o que eu precisava?' Ou, talvez ela estivesse se sentindo culpada. Ela sabe que eles estão economizando para uma grande viagem e pensou que ele pensaria que ela era gananciosa. Se ela tivesse usado as habilidades, teria sido capaz de dizer: 'Sabe de uma coisa? Sei que estamos economizando para essa viagem, mas gosto muito do colar que vimos no outro dia e não era tão caro.' Ele poderia ter conseguido comprar por ela. Ela teria se sentido respeitada e valorizada. Ele teria sido feliz. Eles teriam se sentido mais íntimos. Todo esse presente de aniversário teria dado certo, em vez de terminar em uma briga.”


A Competência Romântica pode soar como trabalho - mas tem benefícios diversos. Segundo Davila, em um estudo com jovens de 18 a 25 anos, “os homens e mulheres mais romanticamente competentes se sentiam mais seguros nos relacionamentos. Eles também relataram tomar melhores decisões ... Eles também foram melhores em procurar e fornecer apoio a seus parceiros, por isso estavam mais dispostos a pedir o que precisavam e usar o que seus parceiros lhes davam. E eles eram melhores em fornecer suporte útil quando necessário.”


Nunca é tarde para aprender as habilidades que compõem a competência romântica. E quanto mais cedo começarmos a ensinar essas três habilidades - insight, regulação emocional e reciprocidade - para os jovens que conhecemos, mais eles estarão equipados para ter relacionamentos mais saudáveis ​​e felizes.

Fonte: https://ideas.ted.com/the-3-core-skills-that-every-person-needs-for-healthy-romantic-relationships/ (traduzido e adaptado)


Esta postagem não substitui a psicoterapia.

Procure um profissional da área para ajudá-lo.


Ivana Siqueira

Psicóloga Clínica

CRP 05|40028


Rio de Janeiro - RJ

contato@ivanapsicologia.com

0 visualização

Atendimento presencial e online

Endereços:

Saens Pena Medical Center

Rua Conde de Bonfim, 255

Tijuca, Rio de Janeiro, RJ

Barra Point Shopping

Av. Armando Lombardi, 350

Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ

Contato:

Horários:

Tijuca

Segunda: 10h às 20h

Terça: 08h às 20h

Quinta: 08h às 20h

Sexta: 08h às 20h

Barra da Tijuca

Quarta: 10h às 21h

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

© 2018 by Ivana Siqueira. Todos os direitos reservados.