Por que as pessoas são mais criativas em uma crise?

Atualizado: Abr 14



Você deve ter notado que, enquanto estamos enfrentando a crise do novo coronavírus, houve um aumento na resolução criativa de problemas. Estamos vendo soluções criativas (imperfeitas) em praticamente todos os cantos, incluindo:


  • A comunidade médica (como tentar usar um ventilador para mais de um paciente ou recrutar cães de terapia para apoiar nossos profissionais de saúde durante longos turnos na linha de frente),

  • Governos formulando novas políticas em todo o mundo,

  • Cientistas de dados,

  • A comunidade empresarial,

  • Professores que estão tentando dar apoio emocional aos alunos além de ensinar o material do curso, 

  • Pessoas com habilidades de "fabricante", como aquelas que estão imprimindo peças médicas em 3D que estão em falta

  • Mães e pais que estão guiando seus filhos para lidar com isso.


Se você está se perguntando sobre a psicologia por trás dessa onda de criatividade, aqui estão algumas razões pelas quais as pessoas são mais criativas em uma crise.


1. O urgente e o importante estão melhor alinhados em uma crise.


Na vida profissional regular, um grande problema é que os aspectos urgentes e importantes geralmente estão muito fora de sincronia. Normalmente, o trabalho mais potencialmente impactante que poderíamos estar realizando, como concentrar-se na criatividade ou na inovação ou no planejamento de desastres, não tem um prazo firme.


Tarefas com prazos curtos tendem a ser relativamente simples, enquanto um trabalho de grande impacto tende a ser mais complexo, novo, emocional e intelectualmente desafiador. Pesquisas mostram que as pessoas escolherão executar tarefas com prazos curtos em detrimento daqueles com prazos mais longos, mesmo quando as tarefas com prazos mais longos forem igualmente fáceis e renderão recompensas objetivamente mais altas. 


Em uma crise, o urgente e o importante estão muito mais claramente alinhados.


2. Em uma crise, as pessoas pensam em como suas habilidades e recursos poderiam ser aplicados ao problema.


Quando todos estamos enfrentando uma crise coletiva como o COVID-19, o problema a ser resolvido está muito bem definido. O fator variável, então, são as habilidades e conhecimentos que os indivíduos podem levar a isso. Todos estão descobrindo que têm algum conhecimento, habilidades, conexões ou outros recursos para oferecer. Por exemplo, pessoas que estudam em casa a longo prazo ou que sempre trabalham em casa estão fornecendo dicas, recursos e apoio para aqueles que são novos.


Todo mundo está se perguntando "Como minhas habilidades, recursos e conhecimentos podem ajudar nesta crise?" E as pessoas estão percebendo que têm habilidades e conhecimentos que são úteis para os outros que talvez tenham subestimado. Compartilhar qualquer conhecimento que temos também parece mais urgente e como um imperativo moral. 


3. O medo é concentrado e energizante, e a criatividade é uma defesa contra o desamparo.


Uma ameaça iminente é energizante e focada. Nossa resposta aguda e evoluída ao perigo nos faz obter mais energia física, pois faz parte de nossa resposta de luta, fuga e congelamento. Se você não tem onde canalizar essa energia extra, ela pode ser desagradável, como a ansiedade. E sentimentos de desamparo podem se transformar em depressão. No entanto, se você canalizar essa energia extra em uma resposta de luta (lutando com o cérebro, as habilidades técnicas e as emoções, e não os punhos), o medo relacionado à crise que você sente é experimentado como menos desagradável. Se você optar por responder com desamparo (como se, devido apenas à ansiedade, sacar todas as suas economias de aposentadoria após uma grande queda no mercado), seu medo parecerá mais desagradável.


4. Quando nossos hábitos arraigados (formas de fazer as coisas) são interrompidos, a criatividade segue.


Digamos que você normalmente ensina uma aula presencialmente, mas agora você está ensinando online. É provável que essa mudança de formato + a situação atual faça com que você reavalie a forma como ensina. Talvez seja necessário encontrar novas maneiras de replicar o que você fez nas aulas presenciais, mas também é livre para fazer outras alterações, talvez incluindo aquelas que você queria fazer por um longo tempo, mas sentiu-se inibido em fazer. Não conseguiu. O uso de novas ferramentas também pode oferecer oportunidades para experimentar novos métodos, usando os recursos tecnológicos avançados das ferramentas de colaboração online .


A interrupção em seus hábitos também é o motivo pelo qual você pode estar cozinhando de maneira mais criativa etc. A interrupção em hábitos existentes nos ajuda a entender o que queríamos fazer.


5. Alguns dos novos problemas a serem resolvidos são novos.


Uma das razões pelas quais estamos vendo a criatividade agora é que alguns dos problemas que estamos enfrentando atualmente são novos. Não precisávamos resolvê-los antes.


Na pesquisa sobre criatividade, uma das maneiras mais comuns de medir a criatividade é através do que é conhecido como Teste de uso alternativo. Solicita-se aos participantes do estudo que pensem no máximo de usos diversos de um objeto comum que possam imaginar, como perguntar "quais são os usos criativos de um tijolo?"

Quando surgem novos problemas, vemos novos usos para nossos recursos e habilidades familiares.


6. A empatia pode estimular a criatividade.


Às vezes, o que fica no caminho de ajudar os outros é a falácia cognitiva conhecida como "crença em um mundo justo", como acreditamos que se as pessoas estão passando por dificuldades financeiras ou lutando de alguma forma, deve ser culpa delas. Quando as pessoas são impactadas pelo coronavírus, há menos sensação de que as pessoas que sofrem o impacto estão lutando porque tem falhas ou fraquezas. Portanto, é psicologicamente mais fácil para governos, bancos, empresas e qualquer outra pessoa apresentar soluções criativas para ajudar. Eles não são tão impedidos em sua empatia pela crença em um mundo justo.


Qual desses mecanismos de criatividade você percebe em si mesmo? O que você percebe em seus entes queridos? Seus colegas? Sua comunidade?


Fonte: https://www.psychologytoday.com/us/blog/in-practice/202003/why-are-people-more-creative-in-crisis (traduzido e adaptado)


Esta postagem não substitui a psicoterapia.

Procure um profissional da área para ajudá-lo.


Ivana Siqueira

Psicóloga Clínica

CRP 05|40028


Rio de Janeiro - RJ

Atendimento presencial e online

contato@ivanapsicologia.com

42 visualizações

Atendimento presencial e online

Endereços:

Saens Pena Medical Center

Rua Conde de Bonfim, 255

Tijuca, Rio de Janeiro, RJ

Barra Point Shopping

Av. Armando Lombardi, 350

Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ

Horários:

Tijuca

Segunda: 10h às 20h

Terça: 08h às 20h

Quinta: 08h às 20h

Sexta: 08h às 20h

Barra da Tijuca

Quarta: 10h às 21h

Contato:

  • Facebook - Grey Circle
  • Twitter - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle

© 2018 by Ivana Siqueira. Todos os direitos reservados.